29.7.14

Estádios de Futebol

Esta é a lista dos estádios que eu visitei (atualizado dia 22/08/2016).

São 165.


BRASIL:

RIO GRANDE DO SUL

Estádio Olímpico – Porto Alegre – Grêmio
Estádio Beira Rio – Porto Alegre – Internacional
Estádio Passo d´Areia – Porto Alegre – São José
Estádio da Timbaúva – Porto Alegre – Força e Luz
Estádio Estrelão – Porto Alegre – Cruzeiro
Estádio Parque Lami – Porto Alegre – Porto Alegre FC
Estádio da Universidade - Porto Alegre - PUC
Estádio Alfredo Jaconi – Caxias do Sul – Juventude
Estádio Alfredo Stedile – Caxias do Sul – SER Caxias
Estádio da Montanha – Bento Gonçalves – ex Esportivo
Estádio das Castanheiras – Farroupilha – Brasil
Estádio Alcides Santa Rosa – Garibaldi – Guarani
Estádio Altos da Glória – Vacaria – Glória
Estádio Antônio David Farina – Veranópolis – Veranópolis
Estádio Vermelhão da Serra – Passo Fundo – Passo Fundo
Estádio 19 de Outubro – Ijuí – São Luiz
Estádio dos Plátanos – Santa Cruz do Sul – Santa Cruz
Estádio dos Eucaliptos - Santa Cruz do Sul - Avenida
Estádio Joaquim Vidal – Cachoeira do Sul – São José
Estádio Santa Rosa – Novo Hamburgo – ex Novo Hamburgo
Estádio Cristo Rei – São Leopoldo – Aimoré
Estádio Mariscão – Capão da Canoa – Capão da Canoa FC
Estádio Bento Freitas – Pelotas - Brasil
Estádio da Boca do Lobo – Pelotas – Pelotas
Estádio Aldo Dapuzzo – Rio Grande – São Paulo
Estádio Arthur Lawson – Rio Grande – SC Rio Grande
Estádio Presidente Vargas – Santa Maria – Internacional
Estádio Campus Universitário – Canoas – Ulbra
Estádio Florestal – Lajeado – Lajeadense
Estádio Edmundo Feix – Venancio Aires – Guarani
Estádio Taba Índia – Cruz Alta – Guarany
Estádio Fonte Sarandi – Sarandi – Ipiranga
Estádio Colosso da Lagoa – Erechim – Ypiranga
Estádio da Zona Sul – Santo Ângelo – Santo Ângelo
Estádio dos Pinheirais – Gramado - Gramadense
Estádio Municipal – Nova Petrópolis – EC Nova Petrópolis
Estádio Felisberto Fagundes Filho – Uruguaiana – EC Uruguaiana
Estádio Honório Nunes – Livramento – Grêmio Santanense
Estádio do Peixe – Tramandaí
Estádio Antônio Sessim – Cidreira
Estádio Morada dos Quero-queros - Alvorada - Pedra Branca FC
Estádio do Vale - Novo Hamburgo - Novo Hamburgo


SANTA CATARINA:

Estádio da Ressacada – Florianópolis – Avaí
Estádio Orlando Scarpelli – Florianópolis – Figueirense
Estádio Heriberto Hülse – Criciúma – Criciúma
Estádio Aníbal Costa – Tubarão – Tubarão
Estádio Aderbal Ramos da Silva – Blumenau – Blumenau
Estádio do Sesi – Blumenau – CA Metropolitano
Estádio Mun. JB Wendhausen Moraes – Laguna – Laguna EC
Estádio Arena Condá - Chapecó - Chapecoense
Estádio Ernesto Schelemm Sobrinho - Joinville - Ex Caxias e JEC
Estádio Arena Joinville - Joinville - Joinville EC


PARANÁ:

Estádio Erton Coelho de Queiroz “Boqueirão” – Curitiba – Paraná Clube
Estádio Couto Pereira - Curitiba - Coritiba FC
Estádio Arena da Baixada - Curitiba - Atlético PR
Estádio Dorival de Brito "Vila Capanema" - Curitiba - Paraná Clube 
Estádio do Café - Londrina - Londrina
Estádio Willie Davids - Maringá - Maringá


SÃO PAULO:

Estádio do Morumbi – São Paulo – São Paulo FC
Estádio do Pacaembu – São Paulo
Estádio do Canindé – São Paulo – Portuguesa
Estádio Fazendinha – São Paulo – Corinthians
Estádio Parque Antártica – São Paulo – ex Palmeiras
Estádio Brinco de Ouro da Princesa – Campinas – Guarani
Estádio Moisés Lucarelli - Campinas - Ponte Preta
Estádio Décio Vitta - Americana - Rio Branco
Estádio Antônio Guimarães - Sta. Bárbara D´Oeste - União Barbarense
Estádio Barão de Serra Negra - Piracibaca - XV de Piracicaba
Estádio Bruno José Daniel - Santo André - EC Santo André
Estádio Jayme Cintra - Jundiaí - Paulista
Estádio Vila Belmiro - Santos - Santos FC
Estádio Ulrico Mursa - Santos - Portuguesa Santista
Estádio Allianz Parque - São Paulo - Palmeiras
Estádio da Rua Javari - São Paulo - Juventus
Estádio Arena Corinthians "Itaquerão" - São Paulo - Corinthians


RIO DE JANEIRO

Estádio Maracanã – Rio de Janeiro
Estádio Caio Martins – Niterói – Ex-Botafogo
Estádio São Januário - Rio de Janeiro - Vasco da Gama
Estádio Figueira de Melo - Rio de Janeiro - São Cristóvão
Estádio das Laranjeiras - Rio de Janeiro - Fluminense
Estádio do Engenhão - Rio de Janeiro - Botafogo

Estádio Aniceto Moscoso "Conselheiro Galvão" - Rio de Janeiro - Madureira
Estádio Raulino de Oliveira - Volta Redonda


GOIÁS

Estádio Serra Dourada - Goiânia
Estádio Antônio Accioly - Goiânia - Atlético
Estádio Onésimo Brasileiro Alvarenga - Goiânia - Vila Nova


PERNAMBUCO

Estádio dos Aflitos - Recife - Náutico
Estádio do Arruda - Recife - Santa Cruz
Arena Pernambuco - São Lourenço da Mata
Ilha do Retiro - Recife - Sport Recife


MINAS GERAIS:

Estádio Mineirão - Belo Horizonte - Atlético e Cruzeiro
Estádio Independência - Belo Horizonte - América


BAHIA:

Estádio Barradão - Salvador - Vitória
Estádio da Fonte Nova - Salvador
Estádio de Pituaçu - Salvador - Galícia e Bahia


ALAGOAS:

Estádio Rei Pelé - Maceió - CSA e CRB
Estádio Nélson Peixoto Feijó - Maceió - Corinthians



DISTRITO FEDERAL:

Estádio Mané Garrincha - Brasília
Estádio Abadião - Ceilândia - Ceilândia FC
Estádio Boca do Jacaré - Taguatinga - Brasiliense


MATO GROSSO:

Estádio Municipal Luthero Lopes - Rondonópolis - União, REC e Vila Aurora


ARGENTINA:

Estádio Monumental de Nuñez – Buenos Aires – River Plate
Estádio La Bombonera – Buenos Aires – Boca Juniors
Estádio José Amalfitani – Buenos Aires – Vélez Sarsfield
Estádio Pedro Bidegaín Nuevo Gasômetro – Buenos Aires – San Lorenzo
Estádio Don León Kolbovski - Buenos Aires – Atlanta
Estádio Juan Carlos Zerrillo – La Plata – Gimnasia y Esgrima
Estádio Jorge Luis Hirschi – La Plata - ex-Estudiantes
Estádio Libertadores de América – Avellaneda – Independiente
Estádio Presidente Perón – Avellaneda – Racing Club
Estádio Arq. Ricardo Etcheverry - Buenos Aires - FerroCarril Oeste 


URUGUAI

Estádio Centenário – Montevideo
Estádio Luis Troccoli – Montevideoa – CA Cerro
Estádio Alfredo Victor Viera – Montevideo – Montevideo Wanderers
Estádio Luis Franzini Parque Rodó – Montevideo – Defensor Sporting
Estádio Jose Nasazzi – Montevideo – Bella Vista
Estádio Mendez Piana – Montevideo – Miramar Misiones
Estádio Jardines Del Hipódromo – Montevideo - Danubio
Estádio Campus Municipal – Maldonado – Deportivo Maldonado
Estádio Atílio Paiva – Rivera – Rivera Livramento


COLÔMBIA

Estádio Atanásio Girardot – Medellín – Nacional e Independiente


VENEZUELA

Estádio Olímpico de la UCV - Caracas - Caracas FC
Estádio Brígido Iriarte - Caracas - Estádio Nacional 



EQUADOR:

Estadio Olímpico Athaualpa - Quito - Deportivo Quito
Estadio Casa Blanca - Quito - Liga Deportiva Universitaria


ESTADOS UNIDOS

Estádio Orange Bowl - Miami


MÉXICO

Estádio Azteca – Cidade do México – Necaxa e América
Estádio Azul – Cidade do México – Cruz Azul
Estádio Nemesio Diez – Toluca – Toluca
Estádio Universitario - Toluca




COSTA RICA

Estádio Nacional – San Jose
Estádio Ricardo Saprissa – San José – Deportivo Saprissa
Estádio Alejandro Morera Soto – Alajuela – Liga Deportiva Alajuelense
Estádio Rosabal Cordero – Heredia - Herediano


ESPANHA

Estádio Santiago Bernabeu – Madrid – Real Madrid
Estádio Vicente Calderón – Madrid – Atlético
Estádio Teresa Rivero – Madrid – Rayo Vallecano
Estádio Camp Nou – Barcelona – Barcelona
Estádio Miniestadi – Barcelona – Barcelona B
Estádio Sarriá – Barcelona – Ex Espanyol
Estádio Olímpico de Montijuic – Barcelona – Espanyol


ITÁLIA

Estádio Olímpico – Roma – Roma e Lazio
Estádio Giuseppe Meazza – Milão – Milan e Inter
Estádio Delle Alpi – Turim – Torino e Juventus
Estádio Ennio Tardini – Parma – Parma
Estádio Artemio Franchi – Florença – Fiorentina
Estádio Romeo Anconetani – Pisa – Pisa Cálcio
Estádio Pierluigi Penzo – Veneza – Venezia


FRANÇA

Estádio Parc des Princes – Paris – Paris Saint Germain


PORTUGAL:

Estádio da Luz – Lisboa – Benfica
Estádio do Restelo – Lisboa – Belenenses


ALEMANHA:

Estádio Olímpico – Munique – Ex. Bayern e 1860 Munich
Estádio Olímpico – Berlim – Hertha


BÉLGICA

Estádio du Heysel – Bruxelas


HOLANDA:

Estádio De Meer – Amsterdam – Ex Ajax


HUNGRIA:

Estádio Nacional – Budapest
Estádio Üllöi Uti – Budapest – Ferencvaros


ESLOVÁQUIA

Estádio Tehelné Pole – Bratislava – Slovan
Estádio Pasienky – Bratislava – Inter


INGLATERRA

Estádio de Wembley – Londres


AUSTRIA

Estádio Lehen – Salzburg – Áustria Salzburg


MÓNACO:

Estádio Louis II – Mónaco – AS Monaco


SUIÇA

Estádio Letzigrund – Zurique – FC Zurich
Estádio Hardturm – Zurique – Grasshopper
Estádio de Gèneve – Genebra - Servette

18.6.14

Copa do Mundo - Enfim, Porto Alegre amadureceu

Queria deixar marcado para sempre nos anais o meus pensamentos e observações sobre a minha primeira experiência em uma partida de Copa do Mundo em 42 anos de vida. Só por isso decidi escrever esse post.

Não achei parâmetros para descrever a ansiedade que tomou conta de mim desde o momento em que consegui adquirir todos os ingressos para os jogos em Porto Alegre. Não via a hora de estar com todos eles em mãos.
Não comprei todos de uma só vez.
Fui sorteado com apenas dois jogos na primeira fase de vendas.
Não sabia nem sequer quais seleções viriam jogar aqui.
Após o sorteio dos grupos, me deparei com França x Honduras e Argentina x Nigéria.
Gostei demais!
Mas ainda assim não me dei por satisfeito.
Na segunda fase de vendas, por ordem de chegada, consegui comprar Holanda x Austrália.
Fiquei tão empolgado que decidi comprar também Coréia x Argélia só pra comemorar, já que não tinha esse jogo como objetivo.
Mas ainda faltava a partida de oitavas de final.
Consegui fazer a compra na véspera de aniversário e me dei de presente.
Chorei duas horas em posição fetal.

Na sequência, queria ter os ingressos nas mãos.
Queria muito.
Tanto que agendei a retirada dos mesmos no segundo dia de funcionamento do espaço construído no Barra Shopping para entrega dos bilhetes.
Com eles em mãos, só me restava namorar aquelas maravilhas.
Passei horas com eles no colo.
Li um por um.
Reli até decorar os portões de acesso, setores, anel, fileira e poltrona de cada jogo.

Minha primeira preocupação foi de como levar o ingresso até o estádio no dia do jogo.
Na hora que fiz a retirada, me alertaram para não dobrar o bilhete por causa de um chip interno.
Ok. Não dobrei.
Mas não caberia no meu bolso.
Não queria levar dentro da mochila. Poderiam me roubar e levariam o precioso ingresso junto.
Qual a solução?
Pedi para Juçá costurar um bolso interno em um dos meus casacos.
Lá dentro, fica o ingresso camuflado.

Na véspera do jogo, sábado, 14/06, praticamente não dormi.
Acordei várias vezes à noite.
Preparei minha roupa.
Arrumei a mochila com vários souvenires para trocar com hondurenhos e franceses (não troquei nenhum).
Até binóculo separei. Sério.
A ansiedade era tanto que até fiquei doente. Gripe.

Acordei cedo.
Tentei controlar o nervosismo.
Fingi que se tratava de um dia normal, mas estava louco para sair de casa e me dirigir ao estádio. Fato que ocorreu por volta das 12h.
Nem almocei.
Pra que?

Deixei o carro estacionado na rua Saldanha Marinho, no bairro Menino Deus, e segui caminhando pela Barbedo até chegar no chamado “Caminho do Gol”, trajeto organizado pela FIFA para levar a massa de torcedores até o estádio.

A partir dali, passei a curtir meu sonho particular de viver um Mundial.
Caminhei sem pressa, observando a multidão que chegava.
Achei que fosse cedo demais, pois o jogo começaria às 16h, mas estava enganado.
Segui imediatamente para o meu portão de acesso, encantado com as cores, os sons, os cheiros, a alegria das pessoas confraternizando sem preconceitos. Algo que só o futebol é capaz de proporcionar.
Me chamou a atenção a diversidade de camisetas de clubes de futebol de todas as partes.
Grêmio e Inter, lógico, era maioria, mas tinha de tudo que é parte do mundo.

Caminhei rápido até o final da fila para entrar no Beira Rio quando percebi o quão grande ela era.
Pelo menos andava rápido.
Era para passar pelo detector de metal.
Destes que existem nos aeroportos.
Minha mochila passou pela esteira sem maiores problemas.

Ao redor do estádio, muita celebração, com música alta, pessoas cantando, tirando fotos umas com as outras, mesmo sem nunca terem se encontrado antes na vida. Pelo simples fato de serem de outro país, com outro idioma e outra cultura.
Tão diferentes umas das outras, mas tão parecidas ao mesmo tempo (bonita essa frase).
As brasileiras eram as mais assediadas pelos estrangeiros.
Principalmente as mais gostosinhas.
Os gringos agarravam as meninas e faziam “selfies”, para quando retornarem aos seus países de origem poder dizer aos amigos: “Fui ao Brasil e me dei bem”.
A gente sabe como funciona isso.
Ah! E as gostosinhas adoravam.

Não, não fiz nenhuma foto com elas.

Estava com a camisa do Motagua, um time hondurenho, e fui muitas vezes confundido como sendo um deles. Tanto pelos brasileiros quanto por eles mesmos.
Muitos brasileiros me abordaram perguntando se eu queria trocar a camisa com eles, mas se decepcionavam ao perceber que eu era local.

Já no meu lugar (sentei na minha cadeira duas horas antes do jogo), fiquei admirando o Beira Rio.
Ficou um senhor estádio.
Já dei os parabéns para os colorados.
Lógico que não se compara com a Arena, mas ficou realmente muito bonito.
O único detalhe foi a impossibilidade de ver a linha do gol por causa do tamanho das placas de publicidade.
Um colorado ao meu lado me disse que era só na Copa do Mundo, pois no Brasileirão as placas ficam mais recuadas e não atrapalham a visão.
Acreditei.

Não vou falar sobre a partida em si, pois não é esse o objetivo.

Aliás, já vou finalizar com uma observação que fiz durante este período de Copa do Mundo em Porto Alegre.
A cidade amadureceu com a Copa.
É como aquele guri virgem que tem sua primeira experiência sexual.
No dia seguinte, ele se torna outra pessoa.
Ele amadurece, ganha confiança, se acha o tal.
É o que acontece hoje com Porto Alegre.

Em 242 anos de existência, nunca Porto Alegre recebeu tantos turistas.
Nunca a diversidade esteve tão presente na vida de cada um de nós.
Jamais tivemos a oportunidade de ser o anfitrião de tantos povos, tantas raças, tantos idiomas distintos.
Esse é um fato comum para Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, até Recife.
São cidades acostumadas com tantas diferenças.
Cidades turísticas.
São jovens de 25, 30 anos, com a vida sexual ativa há muito tempo.
Coisa que Porto Alegre não é.
Perdemos a virgindade.
Passamos a fazer parte deste seleto grupo.

O que virá depois?
Não sei.
Não faço ideia.
Espero que a Copa deixe um grande legado e que a maturidade seja permanente.
Não só para a cidade, mas para o povo de Porto Alegre.

Não quero entrar em questões políticas, longe disso.

Só quero curtir cada momento deste sonho que tem data para terminar.

3.4.14

Paixão pela Web

Como colecionador de camisas de futebol, decidi fazer uma rápida pesquisa de como seria caso eu decidisse comprar pela web a camisa oficial de cada clube que disputará a Série A do Campeonato Brasileiro deste ano. Busquei as lojas virtuais de cada um deles e fiz um levantamento de preços, tamanhos, personalização e entrega. Sempre pegando como base a camisa número 1. Infelizmente, não conseguiria completar minha coleção com as camisas do Atlético PR, Chapecoense e Sport Recife, que não possuem loja virtual. Além disso, Cruzeiro e Flamengo não contam com a camisa principal em estoque. Pelo menos o Cruzeiro disponibiliza uma camisa exclusiva da Libertadores, o mesmo ocorre com o Grêmio.

Veja abaixo como funciona para adquirir a camisa de cada clube da Série A e atente para as observações no final de cada um.


ATLÉTICO MG:
Valor: R$ 229,90
Marca: Puma
Coleção: 2014
Números nas costas: apenas números 7 e 10.
Tamanhos: apenas G para a camisa número 7 e G e GG para camisa 10.
Obs. Entrega em todo o Brasil. Não existe a possibilidade de personalizar a camisa com nome e/ou número.


ATLÉTICO PR
Valor: R$ 179,90
Marca: Umbro
Coleção: 2013
Números nas costas:
Tamanhos:
Loja Virtual:
Obs. Não possui loja virtual. Não entrega por correio nem mesmo se solicitarmos por telefone. Venda apenas na loja física, em Curitiba


BAHIA:
Valor: R$ 179,90
Marca: Nike
Coleção: 2013/14
Números nas costas: não possui
Tamanhos: Apenas M e EGG
Loja Virtual: http://www.bahiastore.com.br/camisas-de-futebol/camisa-nike-bahia-i-13-14-s-n-/prod004-1153-028.html
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


BOTAFOGO:
Valor: R$ 219,90
Marca: Puma
Coleção: 2014
Números nas costas: não possui
Tamanhos: Apenas P
Loja Virtual: http://www.lojabotafogo.com.br/camisa-puma-botafogo-oficial-1-s-n%C3%82%C2%B0-c--patrocinio-2014-produto-18.04.0680?color=03&tamanho=2
Obs.: Entrega em todo o Brasil. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


CHAPECOENSE:
Valor:
Marca: Umbro
Coleção:
Números nas costas:
Tamanhos:
Loja Virtual:
Obs.: Não possui loja virtual ou loja física exclusiva do clube no estádio. Camisas da equipe podem ser encontradas apenas nas lojas de esporte no centro da cidade de Chapecó.


CORINTHIANS:
Valor: R$ 199,90
Marca: Nike
Coleção: 2013
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G e GG
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


CORITIBA:
Valor: R$ 179,90
Marca: Nike
Coleção: 2013/14
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G, GG e EGG
Loja Virtual: http://www.coritibastore.com.br/camisas-de-futebol/camisa-nike-coritiba-i-13-14-s-n-/prod004-1069-114.html
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


CRICIÚMA:
Valor: R$ 99,90
Marca: Kanxa
Coleção: 2013
Números nas costas: Apenas o número 10
Tamanhos: P, M, G, GG e EG
Loja Virtual: http://www.tigremaniacos.com.br/linha-oficial/593-camisa-ofici.html
Obs.: Entrega em todo o Brasil


CRUZEIRO
Valor: R$ 189,90
Marca: Olympikus
Coleção: 2013/14
Números nas costas: -
Tamanhos: -
Obs.: A camisa número 1 está esgotada na loja virtual. O torcedor pode adquirir apenas a camisa oficial da Libertadores por R$ 199,90 nos tamanhos G e GG e sem números nas costas. Não há a possibilidade de personalizar. Entrega em todo o Brasil com frete grátis.


FIGUEIRENSE:
Valor: R$ 179,90
Marca: Penalty
Coleção: 2014
Números nas costas: : Apenas o número 10
Tamanhos: P, M, G e GG
Obs.: Entrega em todo o Brasil.


FLAMENGO
Valor: R$ 149,89
Marca: Adidas
Coleção: 2013
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, G, GG e 2GG
Loja Virtual: http://www.flaboutique.com.br/camisa-adidas-flamengo-oficial-1-s-n%C3%82%C2%B0-c--caixa-2013-produto-18.04.0531?color=01
Obs.: A loja virtual não possui a camisa rubro-negra de 2014, apenas a camisa branca, no valor de R$ 219,90. A loja entrega em todo o Brasil. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


FLUMINENSE
Valor: R$ 219,90
Marca: Adidas
Coleção: 2013
Números nas costas: Apenas o número 18
Tamanhos: P, G e GG
Obs.: O torcedor pode solicitar de forma gratuita a colocação do Patch da CBF alusivo ao título de Campeão Brasileiro de 2012. Ele pode também colocar o nome pagando mais por isso. Na camisa branca, o nome sai gratuito. A loja entrega em todo o Brasil.


GOIÁS:
Valor: R$ 179,90
Marca: Puma
Coleção: 2013
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G, GG e EG
Obs.: Loja entrega em todo o Brasil com frete grátis. Não existe a possibilidade de personalizar a camisa com nome e/ou número.


GRÊMIO:
Valor: R$ 149,90
Marca: Topper
Coleção: 2013
Números nas costas: Opções de número 8, 9, 10 e 11 (dependendo do tamanho)
Tamanhos: P, M, G, GG, EG, 4G, 5G e 8G
Obs.: O Entrega em todo o Brasil. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso. O clube ainda não lançou sua coleção 2014, com exceção da camisa da Libertadores, que pode ser adquirida por R$ 229,90.


INTERNACIONAL
Valor: R$ 199,90
Marca: Nike
Coleção: 2013/14
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G, GG e EGG
Loja Virtual:  http://www.lojadointer.com.br/uniformes-de-jogo/camisa-nike-internacional-i-13-14-s-n-/prod123-4974-056.html
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


PALMEIRAS:
Valor: R$ 219,90
Marca: Adidas
Coleção: 2014
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G e GG
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


SANTOS
Valor: R$ 199,90
Marca: Nike
Coleção: 2013/14
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G, GG e EGG
Obs.: Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


SÃO PAULO:
Valor: R$ 199,99
Marca: Penalty
Coleção: 2014
Números nas costas: Não possui
Tamanhos: P, M, G, GG e EGG
Loja Virtual: http://www.saopaulomania.com.br/uniformes-de-jogo/camisa-penalty-sao-paulo-i-2014-s-n-/prod032-0624-014.html
Obs.: Entrega em todo o Brasil com frete grátis. O torcedor pode personalizar a camisa com número e o nome nas costas pagando mais por isso.


SPORT-PE
Valor:
Marca: Adidas
Coleção:
Números nas costas:
Tamanhos:
Loja Virtual:
Obs.: O clube está trocando seu fornecedor para Adidas. A loja Espaço Sport, que comercializava as camisas oficiais, está com as portas fechadas, tanto física quanto na internet. Ou seja: hoje é impossível comprar uma camisa oficial do Sport Recife.


VITÓRIA:
Valor: R$ 99,90 ou R$ 159,90
Marca: Penalty
Coleção: 2013
Números nas costas: Apenas 7 e 10
Tamanhos: P, M, G, GG, EG e EEG
Loja Virtual:
http://www.lojaleaodabarra.com.br/products.php?product=Camisa-Oficial-Padr%E3o-I-Penalty-2013
Obs.: O Vitória não possui apenas uma loja oficial. Existem várias lojas com nomes diferentes, mas que são consideradas oficiais pelo clube. Em cada uma delas você encontra a camisa oficial com valor diferente, tamanhos diferentes, números diferentes e até patrocínios diferentes (OAS ou Caixa Econômica).


Considerações finais:

As informações dizem respeito ao dia 03 de abril de 2014 e podem modificar a qualquer momento.

27.3.14

"Só podia ser um jovem"

Meu pai tem 73 anos e ainda dirige.
Mas isso não é relevante, já que existem várias pessoas com 73 anos (ou mais) que dirigem normalmente.
O que chama a atenção é que meu pai dirige com calma.
Muita calma.
Uma calma que chega a ser irritante.
Lá adiante o sinal está verde, mas meu pai não acelera para passar.
Ele segue na mesma velocidade. No mesmo ritmo.
Vai se aproximando do cruzamento...
O sinal segue verde.
Segue verde.
Segue verde.
Segue verde.
E meu pai ainda não passou.
Até que o sinal fica vermelho.
Fecha.
E sabe quando?
Na hora em que ele vai passar.
Mas meu pai não está preocupado.
Se ele não passou agora, não serão 30 ou 40 segundos esperando que mudarão sua vida.
Volta e meia, nesta tranquilidade no trânsito de Porto Alegre, meu pai sofre pressão dos carros que vêm logo atrás.
Uns buzinam.
Outros pisam forte no acelerador para que ele escute o ruído do motor.
A maioria ultrapassa em alta velocidade, xingando.
Mas ele não escuta porque está ouvindo o último CD do André Rieu, com os vidros fechados.
Porém, quando se dá conta de que está sendo pressionado, se limita em resmungar:
- Só podia ser um jovem, mesmo!
Pra ele, a velocidade no trânsito é culpa dos jovens.
Os jovens que têm pressa.
Os jovens que querem chegar logo.
Os jovens que não têm paciência...
Os jovens que querem mostrar superioridade ou segurança atrás de um volante.
E o pior é que acho que ele tem razão.
Provavelmente estes jovens, daqui a muitos anos, pensarão da mesma forma.
E leva tempo para chegarmos a este grau de tranquilidade e sabedoria.
Muitas vezes nem chegamos.
Até por conta desta pressa.

Hoje, ainda acelero quando vejo o sinal verde lá na frente.
Em compensação, eu sei quem é André Rieu. 

3.12.13

Estádios que todos os gremistas deveriam conhecer antes de morrer

Os estádios mencionados abaixo, de uma forma ou de outra, fazem parte da história do Grêmio. Escolhi doze destes templos do futebol para o torcedor gremista conhecer antes de morrer. A visita remeterá a momentos inesquecíveis, dramáticos e consagradores.
Enumerei por ordem de importância dentro de critérios pessoais.

Aceito outras opiniões e novas sugestões.  

12 - Estádio Altos da Glória – Vacaria

Foi neste estádio, no dia 30 de abril de 1989, que o Grêmio jogou aquela que é considerada por muitos uma das partidas mais emblemáticas da história do Clube. Necessitando vencer o Glória de Vacaria para não disputar o Grupo da Morte do Estadual, o Grêmio se mobilizou. Mudou de técnico e contratou jogadores visando apenas esse confronto. O jogo, que ficou conhecido como “A Guerra de Vacaria” terminou com a vitória gremista por 2 a 1 (gols de Almir e Edinho) e catapultou o Tricolor rumo ao título do Gauchão e da Copa do Brasil de 1989. O jogo registrou o maior público da história deste estádio: 8.510 torcedores.


11 - Kobe Universiade Memorial Stadium – Kobe (JAP)



Construído em 1985 para disputa das Universíades de Verão daquele ano, o Estádio de Kobe recebeu a decisão da Recopa Sul-Americana de 1996, com os campeões da Libertadores enfrentando os campeões da Supercopa. Na ocasião, o Tricolor voltou a copar o Japão vencendo o Independiente da Argentina pelo placar de 4 a 1 e conquistando sua primeira Recopa.


10 - Estádio Beira Rio – Porto Alegre



Nada melhor do que ser campeão e dar a Volta Olímpica na casa do seu maior rival. Muitos confrontos históricos que terminaram com a vitória gremista foram disputados no Beira Rio. Só quem já ganhou Gre-Nal na casa do adversário sabe o gostinho especial que isso tem.


09 - Estádio Centenario – Montevideo (URU)



Neste que é um dos mais importantes estádios do futebol mundial, o Grêmio conquistou seu primeiro torneio fora do Brasil ao vencer o Nacional pelo placar de 3 a 1 no dia 14 de maio de 1949 em jogo válido pela Taça do Cinquentenário da equipe charrua. Foi também no palco da primeira final do Mundial de 1930 que o Grêmio decidiu sua primeira Libertadores da América. No dia 25 de julho de 1983, empatou em 1 a 1 com o Peñarol no primeiro jogo da decisão.


08 - Estádio La Bombonera – Buenos Aires (ARG)



Foi na temida Bombonera que o Grêmio goleou o grande Boca Juniors pelo placar de 4 a 1 em amistoso disputado em fevereiro de 1959. Com este resultado, considerado um dos mais destacados da história do Clube, o Grêmio tornou-se o primeiro time fora da Argentina a vencer o Boca dentro de seus domínios. Os quatro gols da vitória foram marcados por Gessi, que tornou-se também o primeiro jogador da história a marcar quatro gols numa mesma partida dentro da Bombonera. Além disso, foi neste estádio que o Grêmio disputou sua última final de Libertadores ao perder de 3 a 0 para o Boca Juniors na partida de ida da decisão de 2007.


07 - Estádio Atanásio Girardot – Medellin (COL)



Fundado em 1953 em homenagem ao herói da Independência da Colômbia, Manuel Atanasio Girardot Díaz, o estádio de Medellin foi palco da segunda Copa Libertadores da América conquistada pelo Grêmio, ao empatar em 1 a 1 com o Atlético Nacional, no dia 30 de agosto de 1995. Dinho, cobrando pênalti, fez o gol gremista. O Grêmio deu a Volta Olímpica diante de 60 mil fanáticos colombianos.


06 - Estádio dos Aflitos – Recife



No dia 26 de novembro de 2005, o Grêmio jogou neste estádio uma das partidas mais dramáticas de sua história, conhecida como “A Batalha dos Aflitos”. Contra todas as adversidades, e com apenas sete jogadores em campo, o Grêmio venceu o Náutico por 1 a 0, gol de Anderson, e retornou à elite do futebol brasileiro ao conquistar o título da Série B.


05 - Estádio Maracanã – Rio de Janeiro



O Grêmio foi o primeiro clube fora do Rio de Janeiro a atuar no recém-inaugurado Maracanã, em 1950. Na ocasião, venceu o Flamengo por 3 a 1. Além disso, em maio de 1997 calou quase 100 mil torcedores ao empatar em 2 a 2 com o mesmo Flamengo e conquistar o Tricampeonato da Copa do Brasil dando a Volta Olímpica no maior templo do futebol mundial.


04 - Estádio Morumbi – São Paulo



Neste estádio, no dia 3 de maio de 1981, o Grêmio venceu o São Paulo diante de 95 mil torcedores conquistando pela primeira vez o Campeonato Brasileiro, com gol de Baltazar. Vinte anos depois, voltou a calar o Morumbi goleando o Corinthians por 3 a 1 na conquista do Tetracampeonato da Copa do Brasil.


03 - Estádio Nacional – Tóquio (JAP)



Em 11 de dezembro de 1983, jogando neste estádio, com um frio de 6 graus, o Grêmio venceu o Hamburgo, da Alemanha, pelo placar de 2 a 1, gols de Renato, e sagrou-se Campeão do Mundo, conquistando o maior título de sua história. Também neste estádio, em 1995, o Tricolor jogou de igual para igual com o grande Ajax ficando com o vice-campeonato do Mundial ao perder nas penalidades.


02 - Arena do Grêmio



A nova casa do Tricolor. Maior e mais moderna arena da América Latina e uma das mais belas do Mundo. Um novo conceito de ver futebol, oferecendo conforto e visão privilegiada. Vale a visita de qualquer torcedor fanático de futebol, independente do clube para qual torce.


01 - Estádio Olímpico Monumental



Local de peregrinação obrigatória para todo e qualquer gremista do planeta. Prestes a fechar suas portas para sempre, o Olímpico Monumental foi palco das maiores conquistas da história do Clube, como o a Libertadores de 1983, o Brasileirão de 1996, as Copas do Brasil de 1989 e 1994, além de dezenas de conquistas regionais. Já não recebe mais jogos oficiais, mas segue sendo palco dos treinamentos da equipe tricolor. Está aberto para visitação e será demolido em 2014.



ESTÁDIOS QUE TODOS OS GREMISTAS DEVERIAM TER CONHECIDO

Infelizmente, o tempo tratou de desaparecer com alguns dos cenários onde o Grêmio viveu momentos inesquecíveis. Hoje, tais estádios estão apenas em fotografias e na lembrança dos torcedores, assim como estará o Estádio Olímpico, em breve; assim como ocorreu com a Baixada do Moinho de Ventos e até com o velho estádio dos Eucaliptos, nosso primeiro salão de festas. Elegi dois estádios em especial que considero que todos os gremistas deveriam ter conhecido. Ao contrário da Baixada, que se foi na década de 50 do século passado, tive a oportunidade de conhecer os dois estádios que seguem e que hoje são apenas história.


Estádio Jorge Luis Hirsch – La Plata (ARG)



O velho e acanhado estádio de madeira do Estudiantes já não existe mais. A cancha que foi palco da inesquecível “Batalha de La Plata” foi demolida em 2005 e segue em obras até hoje. No local, será erguido o estádio Tierra de Campeones, previsto para ficar pronto em 2014. Naquele gélido 8 de julho de 1983, o Grêmio viveu uma das partidas mais dramáticas de sua história. Jogando contra um adversário raivoso que teve quatro jogadores expulsos e uma torcida alucinada, o Tricolor acabou empatando em 3 a 3 para poder sair vivo do estádio. O confronto entrou para história do futebol.


Estádio Timbaúva – Porto Alegre



O Estádio da Timbaúva já não existe mais, mas tem uma participação importante na história do Grêmio. Lá jogava o extinto “Força e Luz” e abrigava o famoso Pavilhão da Baixada, antigo estádio gremista, que fora trocado pelo zagueiro Airton Ferreira da Silva, quando este veio para o Tricolor em 1954. O Pavilhão permaneceu até pouco tempo no terreno que foi comprado por uma rede de supermercado.


Bônus:


Estádio Mohamed bin Zayed, Abu Dhabi (EAU)



O torcedor que estiver visitando a distante cidade de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, não pode deixar de visitar o famoso estádio que foi palco da memorável semifinal do Mundial de Clubes de 2010, que colocou a desconhecida equipe do Mazembe no cenário esportivo internacional. Eu visitaria e daria boas risadas. Quem um dia o fizer, terá meu respeito, admiração e inveja.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...