23.9.06

Não basta olhar, tem que tocar

Pracinha do prédio pela manhã.
Crianças brincando.
Eu sentado no banco, lendo.
Duda se aproxima com cara de choro.
- Que foi, Duda?
- Preciso te contar uma coisa.
- Diz.
- Eu tava brincando ali na grama. Vi uma coisa no chão mas não sabia se era barro ou cocô. Aí coloquei a mão pra ver e era cocô.
- Que saco, Duda! Pra que colocar a mão? Mártin, saí daí. Não mexe.
- Não adianta mais, pai. Ele também botou a mão.

(...)

Depois de subir pro apartamento e lavar os dois, voltamos pra pracinha.
Incrível como as pessoas levam seus cachorros em locais onde as crianças brincam e ainda não juntam a sujeira que eles fazem.
- Duda, me mostra em que lugar da grama tava o cocô que tu tocou.
- Mas não tá mais na grama.
- Como assim, Duda?
- Agora ele tá no meu tênis.

Caraleo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...