27.11.07

Teu passado te condena

Fim de semana na casa de Luiz Nei.
Sem muito que fazer, Priscila começa a folhar os álbuns antigos de fotografias da Juçá.
Em um deles, fotos minhas com a ex.
Fotos desnecessárias.
Sem tecer comentário, Priscila seguiu virando página por página.

Luiz Nei e Juçá almoçando na cozinha.
Estamos ali para fazer companhia.
Até que decido comentar:
- Pô, Juçá. Por que tu tens aquele monte de fotos da “falecida” nos teus álbuns?
Mais do que direto, Luiz Nei se intrometeu:
- Em 1950 o Grêmio perdeu um Gre-Nal por 7 a 1.
- E daí? Perguntei.
- E daí que por mais merda que aconteça na vida, elas ficam registradas no passado e não tem nada que a gente possa fazer.

Gosto destas metáforas futebolísticas.

26.11.07

Depois não vem reclamar

Deitado na cama vendo TV.
Priscila deitada ao meu lado lendo.
De repente ela coloca a revista de lado e pergunta:
- Má, você não faz pum?
- Por que essa pergunta?
- Por nada. É que nunca vi você fazer pum na minha frente.
- É uma questão de respeito, Priscila. Além disso, não quero desencadear uma guerra.
- Mas segurar o pum não é bom.
- O problema é que eu não “faço pum”, eu “solto peido”. É diferente.
- Mas não te preocupa. Te dou minha permissão. Não vou te amar menos por isso.

Tsc...tsc...tsc...
Ela não sabe o que ta dizendo.

22.11.07

Vai pra "Zeca" que te pariu

Será que a agência responsável pela conta da Brahma não se deu conta que a “Zeca Hora” não vai pegar nem com banda de música?
Assim como não pegou a “Zeca-feira”.
Nem mesmo 200 inserções diárias em rádio e TV serão suficientes.

Puramordedeus!
Por onde anda a boa publicidade brasileira?

Bem amigos...

O que eu vou confessar aqui, agora, talvez possa me prejudicar no futuro.
Mas eu gosto do Galvão Bueno.

Avalanche do Grêmio



Impressionante.

21.11.07

Avalanche do Itumbiara



Graças a Deus ninguém saiu pisoteado.

20.11.07

Aquela música que não me sai da cabeça

Sabe aquela música que fica guardada no mais profundo do subconsciente?
Que volta e meia surge junto com uma lembrança do passado, mas que some rapidinho?
Que faz parte do repertório de um cantor que só você conhece e que mais que procure no eMule ou no Kazaa não consegue encontrar?
Pois seus problemas acabaram!

Clique aqui para entrar no site, escolha a letra do alfabeto e divirta-se.

Já deixei na letra “A” pra facilitar.

Depois volta aqui pra contar o que você achou.

19.11.07

O the best

Qual seria o auge da carreira de um jornalista?
Hoje me veio essa pergunta.
Aquilo que um jornalista faz e pode morrer feliz.
Todo o resto que vier será mera formalidade.
Ganhar um prêmio Pulitzer, talvez?
Ter uma matéria publicada em destaque no New York Times?
Ter o próprio programa de televisão?
Uma coluna num jornal?
Tantas coisas.
Difícil responder.
A resposta seria simples se eu tivesse escolhido a medicina como profissão.
Qual seria o auge da carreia de um médico?
Certamente o cara poderia morrer depois de operar o reto da Adriane Galisteu.

Aqui.

16.11.07

Um babaca na Bienal do Mercosul

Passam os anos e eu não aprendo.
Ontem fui novamente à Bienal do Mercosul.
E a cada visita tenho mais certeza que meu conceito de arte nada tem a ver com aquilo lá.
Não consigo enxergar arte em um monte de fio de lã pendurado no teto.
Ou num monte de caixotes enrolados em sacos pretos um em cima dos outros.
Ou em um projetor refletindo na parede branca a imagem de uma pessoa com uma sacola na cabeça com meio corpo dentro de um rio.
Ou uma minúscula caixa de som no canto de uma sala reverberando o som de uma maraca.
Mas tem gente que gosta.
Acha a coisa mais maravilhosa do mundo.
Minha sensação é a de estar sendo passado pra trás.
Que escondidos dentro de uma sala, os autores destas idiotices estão rolando de rir do trouxa que gastou seu tempo indo até o cais do porto e ainda faz cara de intelectual tentando interpretar o interpretável.
Comigo não cola.
Precisa ter o terceiro olho muito evoluído para conseguir tirar algum proveito disso.
E eu continuo insistindo.
Ainda que, a cada ano que passe, meu terceiro olho fique cada vez mais míope.

Quem sabe se ano que vem eu usar o quarto olho?
Aquele mesmo olho que a cada dia cria lindas obras de arte.
Lá no banheiro de casa.


Arte mesmo é a beleza da Priscila junto ao pôr do sol do Guaíba.

14.11.07

Nas entrelinhas

Sentado na sala vendo TV.
Priscila sai do banheiro e se aproxima com um sorrisinho sarcástico:
- Má, vou fazer um comentário, mas não é nenhuma crítica e não quero que você fique bravo.
- Fala.
- Lá no meu apartamento em Campinas um pacote com rolos de papel higiênico durava dois meses. Aqui dura uma semana.
- Claro! Lá tu não cagavas e não fazias sexo. Não precisava usar papel higiênico.
- É verdade. Em um ponto você tem razão. Lá em Campinas eu não cagava.

Odeio as mensagens nas entrelinhas.

Alegria acima de tudo

Maria Eduarda, 7 anos, na parte de trás do carro:
- Pai, sabe que eu adoro fazer as pessoas rirem?
- Mesmo, Duda! Vai ser uma humorista quando crescer?
- Não, pai. Quero ser palhaça de circo.

Priscila ri escondido.
Silêncio para assimilação

- Filha, palhaço de circo não ganha dinheiro.
- Não importa o dinheiro, pai. O que importa é fazer as pessoas rirem.

Profundo.

12.11.07

Essa é clássica

Gol de "cabeça"!

Gols marcados com diversas partes do corpo fazem parte do folclore do futebol. Mas na Alemanha o jornal Bild afirma que no sábado foi marcado o "Primeiro gol de pênis no Campeonato Alemão".

A façanha foi realizada pelo atacante hispano-alemão Mario Gomez, que balançou as redes (será que foram só as redes?) duas vezes na vitória por 3 a 1 sobre o Bayern Munique.
A forma como Gomez marcou o primeiro gol na partida pareceu no mínimo curiosa e deixa margem para interpretações, mas o Bild assegura que foi feito com o pênis do jogador!

O goleiro Oliver Kahn saiu para tentar alcançar um cruzamento dos jogadores do Stuttgart, que sobrou para o atacante. Ele estava fazendo o gesto de cabeceio e foi surpreendido pela trajetória inusitada da bola.

"O gol foi geni(t)al", afirma o jornal nas páginas esportivas.

A publicação alemã lembrou outros gols marcados de forma inusitada e até mesmo polêmica, como o de mão feito pelo argentino Diego Maradona sobre a Inglaterra na Copa do Mundo do México, em 1986.
"O lendário Gerd Müller fez uma vez um gol de c..., Uwe Seller, com a parte de atrás da cabeça e Diego Maradona, com a 'mão de Deus'. Mas ninguém tinha marcado como Mario Gomez", afirma a publicação.

Ao ser perguntado com que parte do corpo marcou o gol, o atacante afirmou que ela está situada em algum lugar entre o estômago e a coxa (aham...)

Quando o jornal insistiu, o alemão disse que a parte do seu corpo responsável pelo gol "é grande, e doeu muito".

Ah tá!


Saudade da rosquinha

Parece que a notícia é de setembro de 2005, mas só fui descobrir hoje que não existem mais lojas Dunkin’Donuts no Brasil.

Estragou meu dia.

9.11.07

Quando a cara já diz tudo



Novembro de 2007

8.11.07

Propaganda é a alma do negócio

Minha fama está tomando proporções perigosas.




Até injeção na testa

Já participou do show de aniversário da Rádio Caiçara no Anfiteatro Pôr do Sol com entrada franca?
Pois a experiência deve ser semelhante ao que eu passei ontem ao visitar a exposição “No Ar – 50 anos de vida” da RBS na Usina do Gasômetro.
Cheguei às 19h30.
Escolhi este horário porque achei que o local estaria vazio.
O que não levei em consideração foi o fato de ser o horário onde as pessoas acabaram de deixar seus trabalhos. Ou o horário onde os jovens acabaram de sair da escola.
E obviamente ninguém passou em casa pra tomar banho assim como eu fiz.
Resultado: uma Usina do Gasômetro repleta de gente pobre e fedida.
Sei que o objetivo é nobre, mas existem certos eventos onde a entrada não deveria ser gratuita.
Imagina se o Museu de Tecnologia da PUC fosse gratuito?
Ou se o Pampa Safári fosse gratuito?
Certamente não teriam a qualidade e a infra-estrutura que têm.
Era evidente que 90% das pessoas que estavam na exposição não estavam interessadas nas atrações ou na história da comunicação.
Estavam lá pelo simples fato de ser “de grátis”.
Queriam é passear, namorar, ou qualquer outra coisa do tipo.
Já Priscila e eu, jornalistas de formação, saímos prejudicados sem poder usufruir de todos os atrativos oferecidos pela exposição que, aparentemente, eram bastante interessantes.
Permanecemos lá dentro uns 15 minutos, o tempo suficiente para desistirmos de participar do próximo aniversário da Rádio Caiçara.

Nada contra os pobres.
Mas também absolutamente nada a favor.

7.11.07

Engenheiros do Hawaii

Humberto Gessinger, do Engenheiros do Hawaii, na gravação da Grêmio TV.


5.11.07

Futuro no Zaffari

Maria Eduarda e Juçá em altos papos no supermercado do Iguatemi.
- Vó. Quando eu crescer quero ter muito dinheiro pra poder ajudar minha família.
- Mesmo, Duda? E no que tu vais trabalhar?
- Vou ser caixa de supermercado. Olha só quanto dinheiro ela tem nessa gaveta.

Melhor do que ser motorista de carro-forte.

Casa nova, vida nova

Atendendo aos apelos de economia da Priscila, dispensamos uma equipe de mudanças e uma faxineira e nós mesmos colocamos a mão na massa.
Aproveitando o feriado de sexta-feira, terminamos nossa mudança para o novo apartamento.
Até que foi divertido.
Legal despejar sabão em pó na área molhada e depois poder patinar como se estivesse de esqui.
Foi meu único momento de lazer durante a limpeza.
Difícil mesmo foi ter que subir três andares de escada aproximadamente 324 vezes em dois dias (sexta e sábado) carregando caixas, malas e sacolas.
Isso.
Nosso apartamento é no terceiro andar.
Sem elevador.
Ainda bem que fogão, sofá, cama, armários e coisas do tipo foram comprados novos.
Ou seja, a empresa entregou lá em cima.
Apesar deste incômodo da altura, o apartamento em si compensa o esforço.
É uma coberturinha de um dormitório nos altos do Petrópolis com duas áreas grandes ao ar livre. Uma delas com churrasqueira.
Um prédio pequeno, com cinco apartamentos, rua tranqüila, perto de tudo.
Bem agradável.
Mas o melhor é poder dividir tudo isso com uma mulher maravilhosa, que faz as coisas valerem a pena.
Resta agora me adaptar outra vez à vida de casal.
Uma verdadeira vida de casal.
Como eu sempre quis ter.

Só falta instalar a NET.

3.11.07

Grêmio Rádio



Eu e o Pfeiffer (pé quente).
Reportagem da Grêmio Rádio.
A única coisa boa na transmissão ao vivo da derrota do Grêmio para o Figueirense.

1.11.07

Haroldo "o hétero"



Para puxar o saco do chefe.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...