2.10.08

Dez anos de Brasil

Os reflexos de um casamento fracassado certamente seguirão por um longo tempo ao lado da pessoa.
No meu caso, que tenho dois filhos, arrisco a dizer que seguirão para sempre.
Evidente que muito mais por eles do que pela mãe.
Já se passaram dez anos daquele que hoje posso considerar o maior erro da minha vida: o “sim” diante do padre.
Durante todo este período, minha vida seguiu numa curva descendente até chegar ao fundo do poço.
Felizmente tive forças pra escapar.
Ou seria mais verdadeiro se dissesse que não tive outra opção.
Acho que assim ficaria melhor.
Mas toda essa introdução é para explicar uma grave constatação que pude fazer ontem à noite.
Há exatos dez anos eu viajava para fora do Brasil pela última vez.
E justamente na minha lua de mel.
Quanta ironia.
Nestes meus 36 anos de vida, nunca fiquei tanto tempo sem sair do Brasil.
Essa é a verdade.
Pois vejamos: minha primeira viagem internacional foi por volta dos meus 10 anos, quando fui com a família para Foz do Iguaçu conhecendo a fronteira do Paraguai e da Argentina.
Logo depois, aos 11 anos, novamente Argentina com passagens por Buenos Aires, La Plata e Bariloche.
Sete anos depois, foi a vez de conhecer a Costa Rica seguida pelo meu período vivendo na Espanha e mais duas viagens pela Europa no início da década de 90.
Desde então, foram passeios anuais para fora do Brasil basicamente Uruguai e Argentina com escala na Colômbia para ver o Grêmio campeão da América em 1995.
Então casei em 1998.
Foi quando iniciou minha derrocada.
Período negro que quero apagar da minha vida.
Mais nenhuma viagem internacional.
Nem mesmo aqui para a fronteira no Chuí, Livramento ou Uruguaiana.
Coisa triste.
Já faz tempo que estou separado.
Hoje vivendo ao lado de uma pessoa maravilhosa que só me coloca pra cima em todos os sentidos.
Ainda assim, não consegui me recuperar o suficiente para poder voltar a viajar.
Vai ser aos poucos.
Rivera que me aguarde!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...