7.2.09

Na faixa

Minha primeira experiência foi em Viena, na Áustria.
Coisa muito chique!
Confesso que fiquei surpreso.
Quase não acreditei.
Tive que experimentar várias vezes para ter certeza.
E era verdade.
Bastava colocar os pés na faixa de segurança que os carros paravam pra eu atravessar.
E não importava a velocidade que eles vinham.
Era só eu colocar a pontinha do pé e eles pisavam no freio.
E os motoristas nem ficavam bravos.
Tamanha civilidade no começo me constrangeu.
Cruzava a rua rapidamente pra diminuir o tempo de espera dos carros e ainda agradecia com um aceno de mão e uma balançadinha de cabeça.
Aos poucos aquilo se tornou um divertimento.
Passava o dia todo atravessando as ruas.
Nem queria ir pro outro lado, mas cruzava só pra ter a sensação do poder de dominar o tráfego local.
Tinha vezes que ia e voltava, ia e voltava, ia e voltava.
As pessoas me olhavam como se eu fosse um retardado mental.
E não deixava de ser.
Em uma outra vez fui cruzar uma grande avenida de Berlim, na Alemanha.
Quando cheguei na esquina, percebi que as pessoas estavam todas paradas.
Tanto em um lado quanto no outro.
O problema é que não vinha carro nenhum.
Nadica de automóveis no horizonte.
Olhei pra esquerda: pista livre.
Olhei pra direita: a mesma coisa.
E as pessoas ali paradas sem atravessar.
“Só pode ser uma pegadinha”, pensei comigo.
E atravessei tranquilamente.
Pra que?
Do outro lado me esperava um grupo de aproximadamente 15 pessoas olhando atravessado.
Uma senhora de mais idade gesticulava com o dedo em riste provavelmente me xingando.
Foi quando percebi que ela apontava para o semáforo vermelho para pedestres.
Não importava se vinha carro ou não: se o semáforo estava fechado, ninguém atravessava.
Foi um aprendizado.
Bom, tudo isso foi pra dizer que voltei a ter essa mesma experiência nesta semana.
E, pasmem leitores queridos, não foi na Europa.
Foi em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha.
Juro por Deus.
É só colocar os pés na faixa e os carros param.
Sensacional.
Claro que não fiquei indo e voltando trocentas vezes como fiz em Viena.
Mas admito que voltei a sentir aquele poder de ter o controle sobre o trânsito local.
Aliás, gostaria que todos tivessem essa sensação.
Faça isso na próxima vez que sair de casa.
Cruze a faixa sem se preocupar com os carros.
Eles vão parar.
Depois volte aqui pra contar como foi a experiência.
Ou peça pra alguém escrever pra você.
Psicografado, talvez.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...