14.4.09

O preço alto da inteligência

Não me recordo ao certo que ano foi.
Um professor do Anchieta mandou todos os alunos saírem da sala.
De cinco em cinco minutos, ele chamava um de cada vez.
E assim foi.
Ninguém que estava fora sabia o que acontecia lá dentro.
Até que chegou a minha vez.
Quando entrei, a sala já estava quase toda cheia.
Estavam todos de pé me olhando em silêncio.
Sem saber de nada, perguntei:
- O que está acontecendo?
- O que está acontecendo?
Disseram todos ao mesmo tempo imitando meus gestos.
Era essa a brincadeira.
Todos me imitavam.
Cada gesto.
Cada palavra.
E assim com cada um que entrava.
Fiquei extremamente constrangido.
Sem saber o que fazer.
Queria me enfiar num buraco.
Gaguejei.
No final da brincadeira, com todos já sentados, o professor comentou com a turma:
- De todas as reações, a que mais me estranhou foi a do Márcio. Esperava muito mais dele. Achei que ele fosse se sair muito melhor do que foi.
Nunca me esqueci disso.
Por que ele esperava mais de mim?
Por que ele achou que fosse me sair melhor?
Provavelmente porque me achava melhor que os outros.
Não me lembro ao certo qual o objetivo desta brincadeira, mas me lembro que me odiei por ter decepcionado o professor.

Pago um preço muito alto por ser inteligente.
Às vezes não gostaria de ser.
Gostaria de ser burro.
Tá bom, não exageremos.
Também não precisa tanto.
Gostaria de ser simplório.
Como a grande maioria que há por aí (excluindo os leitores desse blog, que são bur...ops, inteligentes).
Dá muito trabalho ser inteligente.
Pasmem.
Todos esperam muito do inteligente.
Esperam alguma coisa diferente.
Alguma tirada engraçada.
Alguma frase de efeito.
Algum texto marcante.
Alguma coisa...inteligente.
Mas o pior de tudo é que ninguém espera mais do inteligente do que ele mesmo.
O inteligente não pode ser igual aos outros.
Precisa ser diferente.
Precisa ser superior.
Precisa ser...inteligente.
Por isso ele sofre.
Sempre espero uma jogada de craque de um Ronaldinho.
Sempre espero um texto genial de um Luís Fernando Veríssimo.
Sempre espero uma música inesquecível de um Latino.
Quando isso não acontece?
Decepção.
Mas essa é a sina do inteligente.
Sempre buscando algo diferente.
Alguma coisa para surpreender o interlocutor.
Pra chamar a atenção das gatinhas.
Pra ganhar dinheiro.
Seja lá pro que for.
Mas já estou de saco cheio disso tudo.
Não vou mais sofrer por ser inteligente.
Não vou fazer mais nada inteligente.
Exceto esse texto.

Destaque para os inteligentes da semana:

Visitante de Goiânia, Goiás.
Visitante de João Pessoa, Paraíba.
Visitante de Santa Cruz do Sul, RS.
Visitante de Londres, Inglaterra.
E para todos aqueles que ligam para participar!!!!
Beijo do gordo, uouuuu!!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...