20.5.09

Família Tescaro de Americana




Muito bem.
Cá estou eu para falar um pouco de meu final de semana em território paulista.
Como mencionei em algum post anterior, Priscila já estava por lá há uma semana e fui ao encontro dela.
Embarquei na sexta-feira em voo da Azul.
Nada muito diferente das demais companhias aéreas que existem por aí.
Diferencial mesmo foi o preço da passagem de R$ 84,00 e o desembarque no aeroporto de Viracopos, em Campinas, ao lado de Americana.



O sorteado para me buscar no aeroporto foi o Jorge, meu cunhado, sempre prestativo.
Aliás, minha chegada causa um alvoroço na residência dos Tescaro.
Thais, a cunhada, teve que deixar o quarto e dormir na sala.
Constrangedor.
Ainda assim, todos fazem de tudo para me deixarem à vontade, como se eu estivesse na minha própria casa.
Vilson Tescaro, meu sogro, preparou no banheiro da residência um “kit leitura” exclusivamente pra mim com revistas, jornais do dia e palavras cruzadas para serem utilizada durante meus constantes momentos de relaxamento fisiológico.
Impressionante como minha fama já cruzou as fronteiras do Estado.
Mesmo assim, estou certo que todos fizeram uso dos mimos.
Apesar de tamanha delicadeza e do serviço ser gratuito, faltou cuidado: no dia seguinte, pela manhã, não encontrei o jornal do dia.
Uma falha imperdoável.
Na segunda-feira, roubaram a caneta da palavra-cruzada.
Barbaridade.
Todas as reclamações foram devidamente depositadas na urna de atendimento ao cliente.



Sábado pela manhã resolvi dar uma caminhada pela cidade atrás de alguma camisa de futebol para minha coleção.
Três anos vivendo comigo, Priscila ainda não acredita na minha capacidade de achar qualquer tipo de camisa de futebol para vender mesmo que tudo indique que jamais tal camisa exista na cidade.
Pois não demorou muito para encontrar uma camiseta do Rio Branco no centro de Americana.
Pelo telefone, Priscila usou de todos os artifícios para que eu não comprasse a camisa, pois o pai dela conseguiria gratuitamente direto com os dirigentes do time e talicoisa.
O papinho não me convenceu muito e só não comprei pois achei o valor de R$ 79,00 demasiado elevado para um time daquele porte.
Só depois, no domingo, entendi todo o desespero da madame: meu cunhado Jorge já havia comprado a camisa para me dar de presente de aniversário.
Mais do que isso, foi até a cidade de Santa Bárbara d´Oeste e conseguiu a camisa do União Barbarense, uma verdadeira raridade.
Salve Jorge!
Em retribuição, prometi mandar uma camiseta do Grêmio.
De lambuja, ainda presenteou o Pietro com um uniforme do São Paulo, só pra confundir a cabeça do menino.



Continuando o assunto sobre camisetas de futebol, meu sogro me presenteou com três camisas extraordinárias do Rio Branco lá da década de 90 do século passado.
Uma maravilha para quem coleciona e uma maravilha para minha sogra, Kate, que conseguiu se livrar daquilo que chama de “trapos”.
Ainda tinha uma camisa antiga do Bahia que pertencia a um jogador que veio para em Americana.
Só este momento já valeu a viagem.



Bom, sábado foi o dia do Chá de Fraldas do Pietro.
Certamente o evento mais esperado dos últimos meses.
Tudo perfeito!
Bastante gente querida, muitos mimos para o pequenino que vai chegar e muita coisa boa pra comer.
Priscila estava mais faceira que pinto no lixo.
Acabou toda mulambenta como manda a tradição.
Pena que a tarde fria não permitiu que a atirássemos na piscina.
Segundo a Miriam, dona da casa, o “choque térmico” seria prejudicial ao bebê.
Aliás, foi ela a responsável pela ecografia 4D que permitiu uma visualização sensacional do baby dentro da barriga (mas em outra oportunidade coloco a foto aqui).



Domingo pela manhã fomos conhecer a casa da Thais na cidade de Nova Odessa, colada em Americana.
Está prontinha esperando os pombinhos que casam em novembro.
Lá estaremos no final do ano com o Pietro recém nascido, se Deus quiser.
À tarde, após o almoço familiar, teve futebol na TV para os homens (bom, na verdade foi só pra mim, pois o resto dormiu).
Foram os últimos momentos em terras americanenses.
Retornamos para Porto Alegre na segunda à tarde com a saudade no peito e a certeza que todos estaremos juntos novamente para celebrar a chegada do novo integrante da família Tescaro.



Uma família pra lá de especial e que me orgulho de fazer parte.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...