16.12.10

As vozes do Olímpico

Tenho 38 anos e ainda não formei uma opinião sobre vida após a morte.
Muitas vezes, tendo a não acreditar na existência de espíritos, alma penada ou qualquer outra definição para os mortos que supostamente andariam entre nós.
Porém, algumas situações me fazem refletir, e os acontecimentos claramente apontam a presença de alguma coisa (ou alguém) que não conseguimos ver.
Bom, pelo menos eu não consigo ver (ainda bem).
Tem gente que vê.

Meu amigo Luciano Rolla, por exemplo, diz já ter tido contato visual com mortos.
E o meu amigo Luciano Rolla é um cara centrado, sério.
Jamais brincaria com um assunto desses.
Pois este depoimento emocionado do Luciano é um destes acontecimentos que apontam a presença de alguma coisa (ou alguém) que não conseguimos ver.

Quais seriam os outros?
Meus 11 anos trabalhando no Estádio Olímpico trazem as respostas.

Você já sentou nas arquibancadas do Olímpico de madrugada? Sozinho?
Provavelmente não.
Até porque não te deixariam entrar.
Mas eu já cansei de sair daqui de madrugada.
E posso dizer que é uma experiência arrepiante.
Você é capaz de escutar o silêncio.
E se ficar sentado por alguns minutos, apenas escutando e observando as sombras, terá certeza absoluta de que não está sozinho.
É impressionante a energia e a sensação de que você está sendo observado.
Mas quem estaria comigo?
Pergunto apenas por perguntar, pois não quero saber a resposta.
Imagino que sejam torcedores.
Pessoas apaixonadas pelo Grêmio que já nos deixaram.
Jogadores, dirigentes, funcionários, torcedores anônimos que, de uma forma ou de outra, não conseguem se desligar dos amores da vida terrena.
Meu avô, quem sabe?
Antes de morrer, pediu para ser enterrado no Cemitério João XXIII num túmulo de frente para o Olímpico.
Na hora do enterro, descobriram que o túmulo comprado era pro outro lado.
Seja como for, pode ter certeza que quando você estiver vendo um jogo do Grêmio no Olímpico, você estará acompanhado por muitos outros apaixonados.
Muito mais do que seus olhos podem ver.
Meu amigo Humberto Gessinger disse que seu último livro fala sobre “As vozes do Olímpico”.
Em 1986 ele gravou um clip de madrugada, no centro do gramado do Olímpico e, provavelmente, sabe do que eu estou falando.

Não sei ainda se acredito ou não em vida após a morte.
Mas se realmente existir, fico tranquilo em saber que aqui no Olímpico estou cercado de amigos gremistas.
Espíritos de luz.
Mas, por favor, não apareçam.

Nem tu, vô.

10 comentários:

Flávio disse...

Muito bom texto, Márcio. Será que essa galera toda vai se mudar pra Arena?

Abraço.

Anônimo disse...

Caríssimo Márcio Neves, achei sensacional seu post sobre o Pacto, se me permite fiz algumas alterações e lhe envio primeiramente para sua apreciação, acho injusto que um texto tão belo não pudesse ter sido melhorado!
Um grande abraço!

LINDOMAR (PARANAENSE)

"A data é 26 de novembro de 2005!''
O local é o vestiário abafado e impregnado com cheiro forte de tinta do estádio dos Aflitos, em Recife.
Tranquilamente a temperatura beira os 50 graus.Um verdadeiro inferno!
Nosso personagem está sentado em um canto, sob um banco vermelho de madeira.
Está empapado em suor, mãos na cabeça, olhos fixos no chão, coração acelerado.
Busca lá no fundo do peito um pouco de oxigênio.
Luta para não deixar o desespero tomar conta.
Não era pra menos. Minutos antes, o juiz havia marcado o segundo
pênalti contra o Grêmio e expulsado mais três jogadores, um já havia sido expulso anteriormente.
O Náutico estava prestes a fazer o gol da vitória.
Todo o trabalho de um ano estava caindo pelo ralo.
Era apenas isso que passava pela cabeça, tanto trabalho, tanta luta, tanta dedicação.
Tudo indo por água abaixo!
Não era justo!
Pensava na família, nos amigos, na torcida gremista no mundo todo que sonhava com a volta à elite do futebol brasileiro.
Ele havia assumido o risco e estava falhando.
Com as lágrimas misturadas ao suor que escorria pelo rosto, ele pediu ajuda.
''Eu faria qualquer coisa para que tudo isso terminasse diferente!''
Ainda com a cabeça baixa, sentiu então imediatamente a presença de alguém ao seu lado.
Lentamente, voltou-se para sua esquerda se deparando com aquela figura bizarra.
Assustado, perguntou:

- Quem é você? Como você apareceu aqui?
- Você sabe quem eu sou! Vim aqui para te ajudar!
Não foi isso que tu pediu?
Então? Vim te propor um pacto.
- Pacto? Que pacto?
- Você sabe que eu tenho poder de fazer o seu goleiro pegar esse pênalti. Muito mais que isso. Tenho poder de fazer seu time chegar à vitória.
- Tu tá louco! Isso é impossível! Estamos com o goleiro e 6 jogadores em campo, tu não percebeu?
Então o cramulhão proferiu: Ouça, aceite a minha oferta e você verá!
- É lógico que aceito! Não tenho outra opção!
Mas qual é o pacto?
 
 
 
 
 
O Grêmio não perderá esse jogo! Vou fazer seu goleiro defender este pênalti! Digo mais, vocês vão fazer 1 a 0 mesmo com 6 jogadores. Serão os campeões e retornarão à elite do futebol brasileiro. Além disso, no próximo ano estarão entre os primeiros do Brasil e colocarei vocês no ano seguinte de volta em uma final de Copa Libertadores. Não, não posso deixar vocês vencerem! Mas estarão lá, pois já tenho um pacto com um argentino!

Incrédulo, ele escuta a proposta e diz:
- Eu aceito! Eu aceito! O que tenho que fazer? O que você quer? Se tiver que vender a minha alma eu vendo!
- Além de sua alma quero outra coisa: Num período de 5 anos, seu maior adversário irá igualar suas conquistas!
- Como assim? Tu tá brincando?
- É isso mesmo que você ouviu: em cinco anos, seu maior adversário vai ganhar tudo que vocês ganharam até hoje. Inclusive aquele título!
Atordoado e sem condições de raciocinar, nosso personagem ainda teve tempo de perguntar:
 E depois destes 5 anos tudo volta ao normal?
- Sim! Depois destes 5 anos, faço tudo voltar ao normal e tudo estará em suas mãos outra vez!
Vocês irão já para a próxima Libertadores assim que o nosso Pacto acabar e serão Campeões!
E como saberei que o Pacto realmente acabou?
O seu maior rival vai passar pelo maior vexame na história do futebol assim que o Pacto acabar, quando isso acontecer estarei em campo encarnado em uma grande figura, vou utilizar um nome bem Satânico chamado de ''KIDIABA''!
É pegar ou largar! Topa?
26/11/2010 fez 5 anos!

Paulo Roberto disse...

Olha..primeiro te pergunto..és filósofo???rsrsrs
Eu sou de formação filósofo com Pós em Marketing, mas JURO que nunca imaginaria um texto como este aqui no teu blog.
Nada contra por sinal, TUDO A FAVOR.
Não só acredito, mas já vi vultos, e me considero espiritualista.
Já presenciei coisas que só pud contar para pessoas que me conhecem, e sabem que nunca inventaria coisas.
Com certeza no Olímpico há espíritos. Por sinal, em todos os lugares, pois se acreditar que a VIDA é só uma perderá o sentido de vivermos.
Um dia meu novo amigo Márcio Neves a gente toma um café e aí te conto o que já vi e passei, e aí tenho certeza que vais começar em primeiro lugar a não ter medo do mundo espiritual.
Na Verdade tenho muito mais medo do mundo material!
Mas o teu texto para variar...é muito bom.
Refletir sobre tudo que tem relação com à Vida, e até mesmo com o Grêmio tem sentido, as vezes não imediato, mas num futuro breve.

Abração.

Márcio Neves disse...

Olá Flávio! Obrigado pela visita!
Cara, não sei se esse pessoal vai junto pra Arena...espero que encontrem o caminho da luz (lindo isso).

Fala Lindomar!!
Já tinha recebido teu texto via Minwer. Desculpa a sinceridade, mas prefiro o texto do jeito que eu fiz...antes mesmo do jogo contra o Mazembe. Mas tua participação é válida.

Grande Paulo Roberto.
Obrigado pelas palavras, caro amigo. Não sou filósofo de formação, mas vamos combinar que de filósofo, todos nós temos um pouco. Seria muito interessante tomar um café com o amigo e escutar as histórias do além, hehehe. Apareça sempre!
Abração

ADRIANO GREMISTA disse...

Não sentei na arquibancada do Monumental de madrugada, mas já fui de torcida organizada e uma vez dormimos na sala da torcida que ficava lá perto dos camarotes, pois iríamos viajar no dia seguinte. Eu disse "dormimos", mas não conseguimos, realmente a sensação é de que, além dos poucos funcionários (guardas) que ficam lá à noite, tem mais alguém... Saudações TRICOLORES !!

Anônimo disse...

Sou Espírita de carteirinha e ao mesmo tempo ecumênico, pois respeito todas as outras religiões me sinto irmão de toda gente, acredito mesmo que os mortos " não morrem"...o mundo espiritual é muito interessante, até por que somos assistidos a todo momento!!! Quanto ao olímpico, é lógico que por ali, passam centenas de desencarnados apaixonados pelo grêmio, mas é bom avisa-los, que infelizmente alí não é o lugar deles, a luz é o caminho para cada um deles, quem é espírita sabe o que eu estou dizendo!!

Belo Texto Márcio, parabéns!!

Luciano Rolla!!

Aldair Rezende disse...

Neto querido, obrigado pelo texto em memória daqueles apaixonados pelo Grêmio e que já não mais estão com vocês.
Aqui, do outro lado, pouco temos contato com essas modernidades mundanas. Mas, assim que um irmão melhor informado e que habita os dois universos nos trouxe suas sábias palavras, fiquei muito emocionado em saber que tu tinhas tornado-se um excelente jornalista.
Parabéns, meu filho.

Estou sempre ao teu lado, te protegendo daqueles que querem de dar "bola nas costas".

Seu avô Aldair Rezende

Diogo Estefaner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo Estefaner disse...

Só uma coisa a dizer:

Por isso Grêmio um campeonato somente eu te peço para os Gremistas que lá do céu cantam comigo.

Belo texto Marcio.

Mr. Gomelli disse...

..tu não os vê, tu não os toca, mas estão presenteees...


é amigo...essa é uma das músicas mais sensacionais da torcida do Grêmio.

Baita texto...

abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...