1.3.11

Dormindo com Alonso

Quem tem mulher, vai entender o que eu vou contar:
Sabe aquele dia em que ela acorda insatisfeita com a casa?
De uma hora pra outra parou de gostar das coisas.
Não gosta mais da sala, do sofá, da decoração, da cor das paredes...
Pois é.
Não tem jeito.
Foi isso que aconteceu com a minha no último final de semana.
Decidida em mudar algumas “coisinhas” em casa, fomos dar um pulo na Leroy Merlin da Sertório.
Dentre as várias coisas escolhidas pela patroa, me chamou a atenção uma obra abstrata feita de madeira.
Várias curvas entrelaçadas sem definição aparente.

- O que é isso? Eu quis saber.
- Não sei exatamente o que significa, mas vou colocar para enfeitar nossa cabeceira, atrás da cama. Disse ela.

Já em casa, vendo TV, Priscila me chama para ver como ficou a montagem da peça na parede do quarto.
Parado, ao pé da cama, fiquei alguns minutos observando aquele desenho abstrato.

- Que estranho. Comentei coçando o queixo e olhar fixo na parede.
- O que foi?

Levei alguns segundos para responder:

- Acho que eu descobri o que significa esse desenho.
- Não significa nada, Má. É só uma obra abstrata.

Pois, a partir daquele momento, a obra deixou de ser abstrata pra mim. Como naqueles desenhos de ilusão de ótica, meus olhos foram captando o sentido da imagem:

- É um carro de Fórmula 1! Gritei emocionado com a descoberta.
- Tá maluco?
- Claro que é! Um Fórmula 1 visto de frente! Olha aqui o capacete do piloto, as rodas, não consegue ver?

Com a boca aberta, o semblante de surpresa vai se transformando em decepção. E Priscila murmura lamentando.

- Não acredito nisso. Comprei um carro de Fórmula 1 pra decorar o nosso quarto.

Depois de alguns minutos gargalhando, dei a sugestão:

- Joga fora.
- Que nada. Não vou rasgar dinheiro.

Resultado disso tudo: hoje temos uma cabeceira com a imagem de um carro de Fórmula 1 de cabeça pra baixo.

- Ninguém nota que é um carro de Fórmula 1. Diz ela tentando me convencer.

Mas não tem jeito.
Hoje eu olho pra “obra abstrata” e não consigo ver outra coisa que não seja um carro de Fórmula 1.

E você?



3 comentários:

Anônimo disse...

Apesar da frustração da Pri, não tem como não rir muito, da maneira como foi contado o acontecimento...hehehe.
Aline

EAUG disse...

A obra só é abstrata até alguém ver alguma coisa nela. Isso é um F1, certeza. Muito igual

luciano l. basso disse...

de abstrata não tem nada... é um F1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...