25.3.11

Nem tudo são flores

Não consigo ver meus filhos há pelo menos um mês.
Não atendem meus telefonemas. Não retornam minhas mensagens.
Nem mesmo tendo direito garantido de pegá-los em finais de semana alternados e nas quintas-feiras está sendo suficiente.
Não consigo colocar em prática este direito.
Com o passar do tempo, vou sentindo que estão cada vez mais distante.
Não há mais contato.
Não há mais diálogo.
Passam os dias sem que eu saiba o que anda acontecendo.
Como estão na escola, o que gostam de fazer, quais as brincadeiras preferidas, quais seus medos e suas alegrias. Coisas básicas do crescimento de um filho que o pai gosta de participar.
Uma convivência que foi cortada de uma hora pra outra com a separação.
Já cansei de ouvir que o marido se separa da esposa, mas não se separa dos filhos.
Pois comigo essa teoria não se concretizou.
Infelizmente, as pessoas que detém a guarda dos meus filhos do primeiro casamento não estão preocupadas com a saúde mental das crianças.
Desde a minha saída de casa, bombardeiam os pequenos com informações inverídicas a meu respeito.
Acabando com qualquer sentimento bom que poderia existir para comigo.
Um ato de covardia inominável, que certamente reflete no dia-a-dia dos pequenos, que não tem culpa do que acontece.
A lavagem cerebral foi tanta contra mim que hoje nenhum dos dois mostra interesse em estar comigo, ou passar comigo algum tempo.
E se mostram, recebem uma dura repreensão.
Tão dura que preferem nem mostrar.
Estão acabando com o amor que existia entre pai e filha e pai e filho.
Tenho medo do que virá pela frente.
Cheguei a pensar que, com o tempo, eles fossem capazes de perceber quem é quem nesta relação. Com a maturidade, teriam discernimento para perceber o mal que sofreram durante todos esses anos. Porém, com o passar dos dias e o distanciamento, já começo a acreditar que a situação é irreversível.
Tenho as mãos atadas, não sei o que fazer.
Procuro meus direitos de pai junto à justiça e obrigo o cumprimento da decisão judicial ou aceito o desejo e a opinião dos pequenos?
Difícil.
Por outro lado tenho uma família pra cuidar.
Uma esposa nova e um novo filho que precisa do meu carinho e da minha atenção.
Lógico que um novo filho não ameniza a dor da separação dos outros dois, mas faz com que toda essa ânsia de cumprir o papel de pai seja direcionada apenas pra ele.
Aliás, a chegada do pequeno Pietro foi prato cheio para que colocasse em prática o plano denominado “teu pai gosta mais do filho novo do que de vocês”.
Nada pode ser mais cruel para uma criança do que uma mentira dessas sendo repetida diariamente na cabecinha delas.
O que acontece?
Qualquer pessoa que não entenda muito de psicologia sabe que a mentira acaba virando verdade para quem não tem muita estrutura emocional.
É muito triste.

Já faz bastante tempo que a Maria Eduarda optou por não mais passar comigo os finais de semana.
Tem seus motivos pessoais.
Bate de frente com minha esposa atual.
É mais ligada à mãe e à avó materna, facilmente influenciável.
Foi minha primeira filha.
Éramos ligados demais um no outro.
Foi a que mais sentiu a separação.
Sem dúvida, deve guardar essa mágoa dentro do peito.
O Mártin era pequeno na época.
Chegou a resistir certo tempo à lavagem cerebral, mas hoje já está no mesmo caminho da Duda.
Aceitando a “mentira verdadeira” que é imposta diariamente.

É difícil escrever sobre isso.
As ideias me vêm à cabeça de forma desorientada e não consigo organizá-las em palavras.
Só sei que o aperto que levo dentro do peito é insuportável.
Tão insuportável que decidi colocar pra fora neste espaço.
Não estou conseguindo conviver com essa situação.
Não dá pra fingir que está tudo bem.
Levar a vida na alegria, como eu costumo levar.
Sei que minha nova família não tem nada a ver com isso, mas é ela que sofre as consequências. Infelizmente.
Espero que possam entender e me apoiar.
Pois tudo que menos preciso agora são de críticas e julgamentos.

Passei muito anos levando uma vida autodestrutiva.
Me deixando levar pra baixo.
Liquidando com minha autoestima, minha ética e minha forma de ver as coisas.
Conheci a maldade e a falta de caráter. Situações presentes na vida de todo mundo, mas que na minha, eram apenas realidade nas novelas da TV.
Quase afundei definitivamente.

Levou bastante tempo, mas consegui reverter a situação.
Ainda pago pelas escolhas mal feitas, mas conto com o apoio das pessoas queridas para recomeçar.
Recomeçar de todas as maneiras.

Desculpa encher vocês com este papo.
Mas precisava fazer alguma coisa sobre isso.
Os acontecimentos têm superado todos os limites, e podem continuar desta maneira.
Preciso fazer alguma coisa.
Pois, se tem algo que aprendi nessa vida, é que o bem vence o mal.
Preciso colocar isso em prática.

Não vai ser fácil.

14 comentários:

Gilgamesh disse...

Belo texto, Márcio. Belo desabafo. Não tenho filhos mas acho que consigo imaginar a aflição que sente.

Que idade eles tem? Eles já sabem ler? Tu poderia criar um canal (como esse blog) no qual só vocês (pai e filhos) soubessem, para se comunicarem até essa situação ser totalmente resolvida.

Pelo pouco que te conheço, lendo alguns textos que tu escreve, tu me parece ser uma grande pessoa, e logo deve ser um grande pai também.
Não deixe essa mulher te derrubar!

Força cara! Estamos contigo, e até a pé nos iremos para o que der e vier!

Abraço cara! E boa sorte!

Leonardo disse...

Triste. Que merda. Eu não entendo muito disso, mas será que não se pode acionar conselho tutelar ou algo parecido?

De certa forma é um mal trato com as crianças.

Paulo Roberto disse...

Márcio:
Primeiro dizer que escrevi um texto grande, e ao tentar postar deu erro.
Vamos novamente então:
1. Faz parte da Natureza a fêmea proteger a sua prole. É o que a ex-esposa faz. A nova esposa é indiretamente uma inimiga no inconsciente da mãe biológica.

2. Quase todo relacionamento termina em brigas, discórdias, e quando há filhos, ou dinheiro, servem como motivos para VINGANÇAS.

3. É preciso que você sente, converse com a ex-esposa. Mesmo havendo discóridas, raivas é preciso resolver isso em PAZ.

4.Caso contrário marque uma audiência direta na VARA da FAMÍLIA, e já peça ajuda psicológica para resolver o que tu chamas de "lavagem cerebral" nos teu filhos.

Não te separe dos filhos, mesmo que pareça impossível vê-los.
Não adianta depois de velho chorar decisões que precisam ser feitas agora!
E por favor, você e a tua ex-esposa precisam entender que a formação psicológica dos filhos tem muito a ver com a presença dos pais.

Um grande abraço..e PAZ.

Carlos disse...

Cara, acompanho teu trabalho recentemente, via twitter/blog, força ai, e filho é algo sagrado, não deixa a situaçao chegar a um ponto pior, e melhor ir a justiça, do que se arrepender futuramente da "distancia" sem volta. Um abraço, e siga trabalhando pelo bem do nosso Grêmio.

Camila R. disse...

Ver seus filhos é um direito seu. Exerça-o. Se seus filhos não estão gostando da ideia de passar finais de semana com você exerça seu direito assim mesmo. Esteja perto deles o máximo que puder, eles te agradecerão no futuro. Eles podem não dizer ou demonstrar, mas o que mais querem, é estar perto de ti.

Boa sorte!

Paulo Roberto disse...

Tá brabo..mando duas mensagens..a primeira o sitema pifa..e na segunda não pe postado.
Já notei que há pessoas que te atacam e é postado as mensagens.
Não entendo do porquê não ter colocado a minha mensagem
Valeu.

Márcio Neves disse...

Li atentamente os comentários de todos vocês. Só posso agradecer o carinho e o apoio.
Estou tomando as providências cabíveis.

Não vou desistir..

Abs!!!

Nessita! disse...

Olha Márcio, como dizem por aí, ex bom é ex morto hehehe
Mas como homicídio ainda é crime, o jeito melhor é dar a real pra tua ex de que agindo assim ela vai prejudicar as crianças, o bom desenvolvimento delas. É muito importante pros mais velhos conviverem tb com o caçula, afinal, é irmão deles. Se ela continuar com essa maluquice (tem mulher q não sabe separar o marido do pai e usa as crianças para vingar a relação fracassada) o jeito é apelar para a justiça. Talvez teus filhos não compreendam essa atitude, mas com certeza, qdo crescerem, perceberão que foi a maneira q encontraste para manter o vínculo e mostrar o quanto eles são importantes pra ti.

Força aí, rapaz!
E muita alegria pra tua família com a Pri e o Pietro, eles estarão sempre do teu lado.

De coração de alguém q te acompanha por aí :)

Vanessa

Anônimo disse...

é triste como pais iguais a ti estejam no mesmo balaio de pais como o da minha filha. Que abandonou a gente 4 dias antes do Natal, não se interessa em resolver a guarda e a pensão judicialmente, não liga, não procura e ainda diz pra todas as pessoas que não deixo ele ver a filha...
Te digo, Márcio, és Pai (com P maiúsculo). Procura não só os teus direitos, como explica aos teus filhos o teu papel e tenta conversar com a mãe deles sobre o impacto psicológico desse ciumes, desse egoismo e dessas mentiras.
Mãe que é inteligente vai pensar nas crianças acima de si mesma!!

Assinei como anônima pq tudo que eu digo está jurado de ser usado contra mim na justiça, e não quero perder a pessoa que mais amo nesse mundo!

Ezequiel disse...

Marcio, força ai... fico imaginando não poder ver o filho.
qdo minha esposa viajava pra visitar a mãe dela e passava só a semana longe já era dificil, agora, moramos todos na mesma cidade.

sinceramente, acho que tens q ir a justiça para ter oq tens direito.
Briga por eles, que talvez notem que tu quer ver eles. deixa bem claro q buscar teus direitos é apenas para ter ELES, nada a ver com ser contra a ex.

abraço e boa sorte.

Anônimo disse...

Lute pelo teu direito.
Teus filhos somente tem a ganhar com isto.
Não é fácil, mas é o correto.

Fabiano

curtoegroço disse...

Ae Marcio é complicado,no meu caso minha mae nunka esteve com meu pai,e eu conheci ele quando ja tinha 10 anos
e no primeiro momento eu não quis conhece ele,não queria nem ve ele,ai depois do primeiro dia que a gente se viu,nunka mais vi ele,sabe nem sei se ele é colorado ou gremista.
e gostaria muito que ele tivese me procurado mais uma vez,pra convive um pouco com ele,mas ele,desistiu de mim,
entao não desista dos teus filhos mantenha um contato com eles um dia vao crescer e fikar maduros,e ninguem ira manipular eles e vao ver o pai bacana que tem
#FORÇAMARCIO

Anônimo disse...

Olá Márcio! Espero ter chegado atrasada, espero que tudo já tenha se resolvido. Mas se não tiver, me sinto no dever de te dizer algumas coisas.
Sou formada em Direito, meu trabalho de conclusão de curso foi sobre Síndrome da Alienação Parental. Basicamente, se trata dessas "mentiras verdadeiras" que sua ex-esposa conta aos seus filhos e as consequências que isso poderá trazer a eles no futuro. Fui estudar sobre isso pois eu mesma fui vítima da minha mãe dos 3 aos 6, quando graças a Deus meus pais reatarm o casamento.
A síndrome da Alienação Parental já foi equiparada a um crime, pois se trata de abuso infantil. Infelizmente não conseguimos transformá-la em artigo do código penal, mas a Lei 12318/10 a define como prejudicial, sendo inclusive hipótese de inversão de guarda. Porque ela acabacom a segurança existente no sistema cognitivo da criança, torna a criança saudável vulnerável psicológicamente. e , com isso abre portas para outros males. na condição de advogada e de "sobrevivente" da SAP, te digo: lute pelas tuas visitas. Mesmo que eles venham a contra-gosto, é imprescindível que vc esteja presente. Não permita que o comportamento desavisado da sua ex-esposa prejudique o futuro dos teus filhos. Um abraço. nicolly hartmann

maria eduarda filha disse...

por que não explica que o fato de não querermos ir é pela louca da tua mulher que tem chiliques se bota em ti e até a mãe dela tem que intervir,ela infernizou meu irmão chama minha mãe toda hora de vagabunda e jogou nossas escovas de dentes no chão e pisou,lembra que teve que nos trancar no carro por causa dela?e no aniver do mártin oque ela fez com ele que até tu pediu desculpas,fala a verdade pai é melhor pensar que nossa mãe é a culpada mas foi tua mulher que fez tudo isso pra nós até teus país acham absurdo tu chama ela de surtada e toda vez que vamos a tua casa voltamos chorando com raiva...fala a verdade encara tudo de frente com verdade e para de enganar os outros que não sabem da missa a metade quem dera que fosse verdade oque tu diz seria bem mais fácil...maria eduarda

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...